domingo, 13 de janeiro de 2008

Já bebeu um KOPI LUWAK?



Eu estive quase. Um belo dia fui tomar um bom expresso num café-quiosque especializado em cafés do mundo, sito no piso subterrâneo do centro comercial do Campo Pequeno em Lisboa. Pedi o melhor que tinham e o balconista me informou que tinham o melhor café do mundo, mas que acabava de se esgotar o último lote. Ao perguntar o nome desse café, ele me elucidou que se tratava do Kopi Luwak, um café cujos grãos são recolhidos das fezes de um animal da Indonésia, o Luwak. Surpreso, fiz-lhe bastantes perguntas e anotei cuidadosamente o nome de tal exótica iguaria.

Mais tarde, fiz a minha pesquisa na Internet e encontrei coisas extraordinárias e curiosas a respeito do citado animal (a Civeta Asiática das Palmeiras, carnívoro parecido com os gatos, cujo nome científico é também estranho: paradoxurus hermaphroditus), do processo de obtenção, do preço astronómico (25 contos cv o quilo) e dos processos químicos que os grãos sofrem de forma muito natural.

Para conhecer melhor a actuação das enzimas e das reacções envolvidas na obtenção deste café e do seu gosto extraordinário, vá ao artigo sobre "Enzimas, metabolismo e ... gastronomia", do blog CVquímica.

1 comentário:

  1. Amigo

    Ou dás mais explicações ou...
    Confesso-me provinciano e preconceituoso com relação a certos assuntos. Essa do café associado a fezes (resta saber se subtraído se adicionado), de um simpático animal de nome estranhíssimo dá que pensar. Esta é daquelas bebidas para tomar tipo purgante (é para engolir sem saborear), ou género 'far-west', BEBE AGORA PERGUNTA DEPOIS. Confesso que na chávena o dito até faz um figurão. Fico ansioso à espera de mais explicações sobre tão precioso néctar. E olha que eu sou apreciador de uma boa 'bica'.
    Abç's

    ResponderEliminar